O CUIDADO DE ENFERMAGEM NA PREVENÇÃO E/OU REDUÇÃO DE INCAPACIDADES DECORRENTES DA HANSENÍASE MULTIBACILAR

O CUIDADO DE ENFERMAGEM NA PREVENÇÃO E/OU REDUÇÃO DE INCAPACIDADES DECORRENTES DA HANSENÍASE MULTIBACILAR

Trata-se de um estudo de caso, com objetivo de relatar a assistência de enfermagem prestada a uma paciente com Hanseníase Multibacilar, desenvolvido a partir de um estágio voluntário em uma Estratégia de Saúde da Família. Enfoca que o Cuidado de Enfermagem contribui de forma significativa no processo de readaptação às sequelas adquiridas e ao grau de comprometimento que pode provocar no portador da doença, antes mesmo de ser diagnosticada.

Dados da Experiência

Local da experiência: 
Piripiri (PI)
Âmbito da experiência: 
Eixo temático: 
Qual foi a experiência desenvolvida? Sobre o que foi?: 

Trata-se de um estudo de caso, o qual foi desenvolvido em novembro de  2012, na zona norte do município de Piripiri-PI. O estudo teve o propósito de relatar a assistência de enfermagem prestada a paciente com hanseníase multibacilar dimorfa, L.J.O,é  uma senhora de 79 anos, que realizara tratamento em uma Estratégia Saúde da Família do mesmo município. A mesma ao perceber as manchas com alteração de sensibilidade em sua pele e ter histórico na família procurou atendimento médico em Unidade Básica, ao qual foi negada assistência. Após determinado período houve o recadastramento de familias em sua área, ficando a mesma sob cobertura de outra ESF, onde a enfermeira,em uma consulta áquela paciente, percebeu lesões com diminuição da sensibilidade, presença de placas,redução da força muscular dos MMII com edema unilateral +/4+ e dormência e ressecamento de pele, sinais e sintomas sugestivos de hanseníase. Realizando, em seguida,teste de sensibilidade tátil,térmica e dolorosa, juntamente com a médica da unidade, que referenciou o caso ao dermatologista, que diagnosticou hanseníase multibacilar dimorfa. Diante deste caso, viu-se  a relevância do cuidado de enfermagem junto a prevenção das sequelas e incapacidades desta patologia.

Como funciona(ou) a experiência?: 

A escolha da paciente se deu a partir de um estágio voluntário de um dos integrantes do grupo, o qual se sensibilizou com o grau de comprometimento e sequelas que a doença já havia provocado na paciente, antes mesmo do diagnóstico. Tomando conhecimento deste caso pediu-se autorização da mesma, de sua cuidadora e da equipe de saúde da ESF para realizar-se um estudo de seu caso. A experiência aconteceu através de visitas domiciliares semanais à cliente, por intermédio da agente comunitária de saúde de sua microárea. Durante as visitas realizou-se, primeiramente, a anamnese e o exame físico constituindo assim o histórico para servir de guia de orientação, permitindo o direcionamento e o registro das observações realizadas e assegurando-se que não fossem omitidos dados considerados essenciais para investigar e explorar a problemática em questão. Após a identificação dos problemas, elaborou-se os diagnósticos, segundo a Taxonomia NANDA 2009-2011, e depois traçou-se as prescrições de enfermagem que foram colocadas em prática com a cliente portadora de hanseníase. Em seguida, avaliou-se a eficácia da assistência de enfermagem, obtendo-se resultados positivos sobre algumas prescrições.

1° etapa:

No primeiro contato com a cliente foi explicado o objetivo do estudo e, como este seria realizado. Após confirmação da mesma e de sua cuidadora, colheu-se um breve histórico de sua patologia, que deu subsídio à construção de um instrumento de coleta de dados, para dar início à entrevista clínica, onde se utilizou um questionário semi-estruturado.

2° etapa:

Em outro momento, realizou-se a anamnese, utilizando o questionário previamente elaborado e, o exame físico. A partir daí percebeu-se a resistência da cliente em seguir o tratamento medicamentoso.

3° etapa:

Dando seguimento, elaboraram-se diagnósticos de enfermagem, com base nas queixas e resistências da paciente. A mesma apresentava cerca de 50 lesões (placas) em toda superfície corpórea, fazendo tratamento há seis meses, apresentando Reação Hansênica Tipo 1, relatando dores e efeitos colaterais às medicações, fadiga, inapetência e perda de peso. Queixando-se de problemas na mastigação, amargo na boca, epigastralgia, perda de força nas mãos, artralgia, vertigem, tontura, dormência e edema em MI esquerdo e dificuldade para deambular. Apresentando ainda resistência para manter uma alimentação saudável.

4° etapa:

Com base nos diagnósticos elaborados na etapa anterior, aplicou-se cuidados de enfermagem junto à paciente, tentando-se minimizar as complicações advindas da patologia e do tratamento.

5° etapa:

A paciente desse estudo evoluiu durante as visitas sem aumento nas lesões em pele ou mucosas. Comprometeu-se em dar continuidade ao tratamento e seguir com o autocuidado e autocontrole da saúde de forma sastifatória. Apresentou melhora dos hábitos alimentares. Sustenta cuidado regular com a limpeza e lubrificação da pele. Realiza inspeção diária em todas as áreas do corpo, observando a evolução das lesões. Mudou as atitudes negativas que interferiam no sucesso do tratamento, mostrando melhores expectativas quanto a seu estado de saúde. Apresentou melhora do quadro clínico com diminuição de edema, alívio das dores a partir do uso correto e regular das medicações, demonstrando tranqüilidade. No final do período de estudo, a mesma já apresentava melhora da atividade motora e sensibilidade tátil, térmica e dolorosa. Diante desta evolução satisfatória, conclui-se ser imprescindível o cuidado de enfermagem ao portador de hanseníase na redução de incapacidades e cura da doença.

Desafios para o desenvolvimento: 

Os desafios encontrados durante a experiência foram à resistência por parte da paciente em aderir ao tratamento, o baixo poder aquisitivo e a dificuldade em deambular sem auxílio.

Quais as novidades?: 

No decorrer do estudo de caso houve a parceria da equipe de saúde da ESF com os acadêmicos de enfermagem na busca do aprimoramento científico sobre Hanseníase, visando dispensar uma melhor assistência àquela paciente, de uma gravidade relevante.

Outra novidade foi a efeito positivo da Educação em Saúde, junto aos cuidados de enfermagem, na evolução da cura da paciente.

Autores da experiência

NomeCategoria
ANTÔNIA KAMILLA DE SOUSA ROCHAOutro
JULIANA OLIVEIRA BRITOOutro
MARIA DOS REMÉDIOS DE SOUSA CUSTÓDIOOutro
JOSELANDA OLIVEIRAOutro
DENISE PAIVA XIMENESEnfermeiro

Atores da experiência

NomeCategoria
ANTÔNIA KAMILLA DE SOUSA ROCHAOutro
JULIANA OLIVEIRA BRITOOutro
MARIA DOS REMÉDIOS DE SOUSA CUSTÓDIOOutro
JOSELANDA OLIVEIRAOutro
L.J.O.Usuário da UBS

Comentários

Experiência de grande relevância na Saúde Pública.

Parabéns pelo trabalho!!!

Obrigada Denise!!!

A experiência proporcionou diretamente ao cliente adesão ao tratamento, ensino,incentivo ao autocuidado,bem-estar do cliente no qual ficamos felizes com assistência prestada. assim aos poucos construimos uma saúde pública melhor.

abraço 

Fico feliz quando vejo que outros profissionais também têm "o olhar" em relação as incapacidades causadas pela hanseníase, a importância da assistência as estas pessoas, percebo que o comprometimento de muitos destes profissionais já demonstram que mesmo de forma voluntária ela funciona e que o serviço é quem ganha em qualidade, consequentemente o paciente/usuário também ganha na qualidade do serviço prestado a ele. Parabéns Antônia Kamilla!

1

Obrigada JANE!!!!

Concordo plenamente com vc.

A hanseníase tem a capacidade de provocar lesões incapacitantes ou deformantes, nesse sentido, os agravos devem ser reduzidos através de profissionais comprometidos e com habilidade científica para lidar com esses clientes. 

1

Boa noite, Kamila!

O relato da sua experiência ficou muito bom. Mostra realmente como o enfermeiro tem um papel relevante na promoção da saúde e na prevenção das doenças.

Parabéns!!!

Oi Kamilla, bom ler seu relato e notar como temos um papel importante a cumprir diante de doenças que ainda persistem no nosso meio. Parabéns pela iniciativa de descrever essa sitação e compartilhar essa experiencia. abraços. Gladis

Kamilla, adorei seu relato, dividir essa experiencia é multiplicar o conhecimento que tiveram. O que mais gostei, foi a atenção ao auto cuidado, principalmente pela resistencia da paciente e poder socio economico baixo.

Parabéns!

Verônica Souto

Olá! Considero o relato importante instrumento de valorização da categoria de enfermagem, e ainda a demonstração de estarem em consonância com os princípios e diretrizes do SUS, principalmente no que se refere à humanização. Parabéns!