Estratégia Rosa: ESF Santa Helena e o fortalecimento da adesão a coleta de exame citopatológico do colo de útero

Estratégia Rosa: ESF Santa Helena e o fortalecimento da adesão a coleta de exame citopatológico do colo de útero

A ESF Santa Helena I do município de Governador Valadares, Minas Gerais a fim de fortalecer a adesão das mulheres ao exame citopatológico do colo de útero, criou estratégias que vem alcançando excelentes resultados e motivando o trabalho em equipe.

Dados da Experiência

Local da experiência: 
Governador Valadares (MG)
Qual foi a experiência desenvolvida? Sobre o que foi?: 

A fim de fortalecer a adesão das mulhere elegíveis ao exame Citopatológico do Colo de Útero, a ESF Santa Helena I do município de Governador Valadares, Minas Gerais, desenvolveu estratégias que tem alcançado ótimos resultados.

As estratégias foram:

1-  Diagnóstico Situacional das mulheres elegíveis ao exame por microárea;

2- Elaboração de instrumento de monitoramento (planilha);

3- Implementação do Fichário Rotativo;

4- Convite por escrito e em visita domiciliar;

5- Registro em prontuário do convite realizado;

6- Divisão de metas por microárea;

7- Visita Domiciliar da enfermeira na busca ativa;

8- Educação em saúde.

Como funciona(ou) a experiência?: 

Em abril de 2013 foi realizado um diagnóstico situacional das mulheres elegíveis a coleta de exame citopatológico do colo de útero por microárea pelas Agentes comunitárias de saúde (ACS). Em seguida, foi elaborado um instrumento (planilha) com o nome, data de nascimento, endereço e a data da coleta, onde a ACS responsável pela microárea sinaliza quando o exame é realizado, otimizando assim a busca ativa das faltosas. É importante ressaltar, que a unidade possui fichário rotativo implantado desde 2009, que foi implementado a partir destas ações. Ainda, no mês da coleta é entregue à mulher um convite para realização do exame. Este convite tem duas vias, sendo uma o protocolo de recebimento, posteriormente arquivado em sua ficha do fichário rotativo. Esta informação também é registrada no prontuário a fim de que outros profissionais, ao realizar atendimentos, identifiquem a situação e colaborem na adesão desta mulher. Além destas ações, dividimos a meta da unidade conforme pactuação do município (28/mês) entre as microáreas, sendo assim cada ACS é responsável em trazer 6 mulheres/mês na faixa etária, e são notificadas pela enfermeira quanto o não cumprimento da meta, gerando assim senso de responsabilização. Também, a enfermeira realiza visita domiciliar na microárea,fortalecendo a busca ativa em conjunto com a ACS. Nos grupos realizados na unidade, bem como nas salas de espera, o tema “Coleta de Preventivo” é sempre abordado.  Estas estratégias têm surtido efeito e motivado as mulheres a comparecerem. De maio a setembro de 2012 foram realizadas 103 coletas, no mesmo período de 2013 foram realizadas 189, o que significou um aumento de 83,5%. Tem-se como pontos fortes desta estratégia: articulação da atenção primária com pontos de atenção de maior complexidade (Centro Viva Vida); trabalho em equipe; aplicação de alguns dos princípios da atenção primária e do SUS (longitudinalidade, coordenação do cuidado, integralidade, equidade). Estes dados demonstram que o investimento conjunto em medidas simples de monitoramento, considerando as peculiaridades das microáreas e necessidades de cada mulher, produzem, além do alcance de metas, interferência de forma positiva na dinâmica de trabalho na equipe e em sua interação com as mulheres para promover saúde e prevenir doenças.

Desafios para o desenvolvimento: 

O maior desafio encontrado foi o empoderamento das agentes em relação ao alcance da meta mensal, apesar de reconhecerem a importância da vigilância, pois o fichário rotativo já estava implantado e as estratégias de saúde da mulher implementadas. Como os últimos anos a adesão das mulheres foi deficitária, em muitos meses a coleta total de exames no mês correspondia a 7 exames/mês, o que representa hoje praticamente a meta de uma microárea. Foram realizadas então reuniões para sensibilizá-las sobre a necessidade do exame, bem como compartilhar com elas informações necessárias para que pudessem proporcionar a adesão das mulheres ao exame.

Quais as novidades?: 

A insegurança das ACSs em sensibilizar as mulheres quanto à coleta do exame fez com que a visita da enfermeira com elas se tornasse necessária. Esta ação fortaleceu o vínculo entre a ACS e enfermeira bem como da enfermeira com as mulheres. Foi uma oportunidade de as mulheres conhecerem a profissional que faria a coleta e já serem esclarecidas quanto a potenciais mitos e dúvidas que tivessem.

O fato de identificar o problema da baixa adesão, traçar estratégias e alcançar ótimos resultados, fortaleceu o vínculo entre a equipe. Percebeu-se que o êxito provém do trabalho em conjunto, onde cada profissional desempenha suas funções mas apóia e dá continuidade ao trabalho do outro. No momento estamos identificando novos “nós” críticos para o trabalho de monitoramento e avaliação. A equipe está se habituando em trabalhar monitorando resultados, priorizando as demandas da comunidade quanto ao cuidado específico em grupos de uma forma mais ampla e compartilhada, respeitando e estimulando a autonomia das mulheres.

Autores da experiência

NomeCategoria
Poliana Littig SilvaEnfermeiro
Fernanda Magalhães Duarte RochaEnfermeiro
Maria Augusta Pereira PiresEnfermeiro
Katiuscia Cardoso RodriguesMédico

Atores da experiência

NomeCategoria
Poliana Littig SilvaEnfermeiro
Marie José Andree Corniglion Alves da SilvaMédico
Rosane Quintino PaivaAgente Comunitário de Saúde
Rita de Cássia de AssisAgente Comunitário de Saúde
Andresa Quintino Agente Comunitário de Saúde
Maria Rodrigues da SilvaAgente Comunitário de Saúde
Noeme Basílio SouzaAgente Comunitário de Saúde

Comentários

Boa noite Poliana, ficou muito bacana! Parabéns! 

Obrigada Alexandra!! Bjim

 

1

Muito bom! Planilhas de vigilância realmente ajudam bastante na busca ativa e na adesão!

Gostei principalmente quando você falou da sensibilização dos ACSs, pois a participação deles é de fundamental importancia. Parabéns!