TERRITORIALIZAÇÃO DA ÁREA ADSTRITA DA UNIDADE UBSFA ENFERMEIRA DRª JOSEPHINA DE MELLO DO BAIRRO JORGE TEIXEIRA

TERRITORIALIZAÇÃO DA ÁREA ADSTRITA DA UNIDADE UBSFA ENFERMEIRA DRª JOSEPHINA DE MELLO DO BAIRRO JORGE TEIXEIRA

Mostrar a realidade do Bairro Jorge Teixeira na área de abrangência da Unidade de Saúde Enfª Josephina de Mello com suas características geográficas e ambientais, sócio-econômicos, religiosos, culturais, e urbanísticos, com a finalidade de organizar o serviço de saúde, e produzir através dos levantamentos de dados, e territorialização, o diagnostico situacional e epidemiológico para melhoria da qualidade de vida da população.
Qual foi a experiência desenvolvida? Sobre o que foi?: 

A experiência desenvolvida foi a reorganização do processo de trabalho na atenção básica, em três equipes da Estratégia Saúde da Família, com a contagem populacional, delimitação do território através da territorialização, cadastramento das famílias e registro das características geográficas, ambientais, socioeconômicas e epidemiológicas afim de traçar perfil das equipes e diagnóstico situacional para melhoria do atendimento e acesso da comunidade adscrita.

Todo o processo de territorialização visou a reorganização e o planejamento de novas ações prioritárias na Atenção a Saúde Básica na comunidade do bairro Jorge Teixeira, onde este teve como finalidade contribuir para a recuperação de um sistema, que atenda as necessidades da população de Manaus, principalmente a nossa área de abrangência e que preconiza as normas estabelecidas na Lei 8080/90.

Como funciona(ou) a experiência?: 

A equipe reuniu-se com uma comissão de tutoria da Secretaria de Saúde do Municipio de Manaus para realizar o processo de territorialização e levantamento de dados geográficos, ambientais, econômicos, que serviram para produção do diagnóstico ambiental e situacional,e epidemiológico, assim como o perfil das equipes e o mapa inteligente para organizar o processo de trabalho e planejar as ações especificas baseado nas características da comunidade atendida, com o apoio da gestão municipal e adesão de todos os componentes das equipes.

O processo desenvolvido passou por diversas estapas, desde as primeiras reuniões com a Tutoria escolhida para conduzir a ação, com apresentações e explanações a cerca da construção da REDE SAÚDE MANAUARA, tendo como base o Modelo de Atendimento às Condições Crônicas (MACC), desenvolvido pelo Dr. Eugênio Vilaça Mendes, destacando-se sua importância, objetivos e metas a serem alcançados pelas Equipes de Estratégia Saúde da Família. Para a construção dos resultados alcançados buscou-se pesquisa de campo com o intuíto de contar os domicílios e usuários, visualizou-se também os fatores ambientais existentes e a possível relação com o processo saúde-doença e epidemiológico da população adscrita.

Os dados foram coletados em instrumentos como as FICHAS- A e posteriormente houve atualização de cadastros junto ao SIAB (Sistema de Atenção Básica), buscou-se a verificação minuciosa de toda a área de abrangência das equipes de Saúde sinalizando no mapa da área de abrangência todas as informações coletadas. Identificou- se as lideranças comunitárias presentes no território, com o objetivo de realizar entrevista, seguindo-se o roteiro proposto,  onde registramos as preocupações e sugestões para uma melhor organização da atenção em saúde no território.

Para a tabulação e consolidação dos dados obtidos utilizaram-se programas como: Word e  Excel  para Windows, com o preenchimento de tabelas distribuídas pela equipe de tutores do programa e posteriormente analisou-se os resultados separadamente e de acordo com cada área de atuação das Equipes de Saúde e suas especificidades.

Desafios para o desenvolvimento: 

O maior desavio para as equipes foi conciliar as tarefas e rotinas cotidianas com as reuniões e as discussões, e encontros de todos os profissionais da equipe sem prejudicar o atendimento ao cliente, entendendo que o processo é necessário para as mudanças a serem executadas.

 

Quais as novidades?: 

As estratégias utilizadas foram os encontros de educação em saúde e discussão em forma de roda de conversa, as pesquisas com os principais lideres da comunidade para conhecer o nível de satisfação do atendimento e acesso, onde foram produzidas as mudanças e a reorganização do processo de trabalho da atenção básica.

As principais melhorias estão voltadas para o cliente como um todo e sendo a Unidade Básica de Saúde a porta de entrada do usuário, espera-se obter maior efetividade no processo de trabalho com resultados positivos, modificando a fragmentação das ações em Saúde e contribuir para a redução dos principais Indicadores de Saúde na cidade de Manaus-Am, além de ofertar melhores serviços de acordo com as maiores necessidades da população.

O mapa chamado de inteligênte é aquele que voce olha, e se ver dentro da area atendida, com a facilidade de encontrar qualquer local ou residencia, pelo numero de informações inseridas no mapa que foi produzido em quadras e microareas com cores delimitações que identificam cada ACS, comercios, igrejas, equipamentos sociais, escolas, pontes, igarapes, areas de risco, fonte de agua, e etc...

 

Outras observações/campo livre: 

As principais melhorias estão voltadas para o cliente como um todo e sendo a Unidade Básica de Saúde a porta de entrada do usuário, espera-se obter maior efetividade no processo de trabalho com resultados positivos, modificando a fragmentação das ações em Saúde e contribuir para a redução dos principais Indicadores de Saúde na cidade de Manaus-Am, além de ofertar melhores serviços de acordo com as maiores necessidades da população.

Autores da experiência

NomeCategoria
Ednilda Corrêa dos Santos Gestor
Elisângela Rodrigues Paiva Enfermeiro
Rosineide Padilha Lopes Enfermeiro
Maria Virginia Soares Gomes Médico
Jairo Dias Spinola Junior Cirurgião Dentista
Maria da Conceição Pinheiro Técnico de Enfermagem

Atores da experiência

NomeCategoria
Marco Aurelio Portela de Macedo Cirurgião Dentista
Ivanildo de Freitas AmericoCirurgião Dentista
Gilberto de Castro Silveira Técnico de Enfermagem
Henila Silva Simpson Técnico de Enfermagem
Egila Keila Lemos Barbosa Técnico de Enfermagem
Ana Clycia Campos Monteiro Técnico de Enfermagem
Vanuza Bezerra Neves Técnico de Enfermagem
Maria do Socorro Brasil da Silva Agente Comunitário de Saúde
Myriam Guimarães Gondim Agente Comunitário de Saúde
Marivone Perpetua Fernandes Agente Comunitário de Saúde
Julio Nakano Médico
Antonio da Silva Melo Agente Comunitário de Saúde
Cosma de Souza Costa Agente Comunitário de Saúde
Sandra dos Santos Pedroso Agente Comunitário de Saúde
ALZIRA COSTA DA SILVAAgente Comunitário de Saúde
PATRICIA LEMOS VIEIRAAgente Comunitário de Saúde
RAIMUNDA DE SOUZA RODRIGUESAgente Comunitário de Saúde
Maqson Ecles Mendonça Torres Apoiador
KATIA CAMPOS DE ARAUJOTécnico de Saúde Bucal
FRANCISCA FERREIRA SOUSA FILHATécnico de Saúde Bucal
Galeria de imagens: 

Comentários

Oi Ednilda, muito prazer!

Que bom que vocês estão compartilhando a sua experiência conosco.

Meu nome é Nilson Ando e junto com a Karine Ely, somos curadores da IV Mostra e estou escrevendo para saber do seu interesse em participar do processo de curadoria.

A Curadoria não é obrigatória e a idéia é que possamos conversar através da plataforma da Comunidade de Práticas, com o intuito de possibilitar que o relato da sua experiência mostre todas as suas possibilidades.

E aí, você topa? Caso positivo, preciso que você responda essa mensagem. Caso não haja retorno, precisaremos passar para um novo relato de experiência, para garantir o acesso do maior número de participanrtes.

Ficamos no aguardo do seu retorno.

Abraços,

Nilson Massakazu Ando & Karine Ely

 

1

com certeza gostariamos de compartilhar o trabalho com a curadoria.

 

 

 

Olá Edinilda,

Muito bacana esta experiência!!!!

Conta pra gente um pouco mais sobre o mapa inteligente...

Gostaríamos também de saber quais as mudanças propostas ou executadas no processo de trabalho.

Grande abraço

Karine

Oi Edinilda, estamos chegando a etapa final da curadoria e vou incluir mais alguns pontos que podemos melhorar.

- Quais as impressões da equipe com relação ao processo de territorialização?

- Quais as melhorias em relação a qualificação do processo de trabalho com esse recurso.

- Como a Mostra será um momento de trocas de experiências, seria interessante descrever como se desenvolveu o processo, citando quais as ferramentas utilizadas (software, por exemplo), entre outros.

Bem, encerramos nossa participação hoje, mas continuamos a disposição.

Vocês tem até o dia 7 para editar o relato.

Abraços,

Nilson Ando & Karine Ely.

Boa sorte Edinilda,

Grande abraço

Karine 

Quais as impressões das equipes envolvidas com relação ao processo de Territorialização?

Todo o processo de territorialização visou a reorganização e o planejamento de novas ações prioritárias na Atenção a Saúde Básica na comunidade do bairro Jorge Teixeira, onde este teve como finalidade contribuir para a recuperação de um sistema, que atenda as necessidades da população de Manaus, principalmente a nossa área de abrangência e que preconiza as normas estabelecidas na Lei 8080/90.

Quais as melhorias em relação a qualificação do processo de trabalho com esse recurso?

As principais melhorias estão voltadas para o cliente como um todo e sendo a Unidade Básica de Saúde a porta de entrada do usuário, espera-se obter maior efetividade no processo de trabalho com resultados positivos, modificando a fragmentação das ações em Saúde e contribuir para a redução dos principais Indicadores de Saúde na cidade de Manaus-Am, além de ofertar melhores serviços de acordo com as maiores necessidades da população.

Desenvolvimento do processo de Territorialização/ ferramentas utilizadas. 

O processo desenvolvido passou por diversas estapas, desde as primeiras reuniões com a Tutoria escolhida para conduzir a ação, com apresentações e explanações a cerca da construção da REDE SAÚDE MANAUARA, tendo como base o Modelo de Atendimento às Condições Crônicas (MACC), desenvolvido pelo Dr. Eugênio Vilaça Mendes, destacando-se sua importância, objetivos e metas a serem alcançados pelas Equipes de Estratégia Saúde da Família. Para a construção dos resultados alcançados buscou-se pesquisa de campo com o intuíto de contar os domicílios e usuários, visualizou-se também os fatores ambientais existentes e a possível relação com o processo saúde-doença e epidemiológico da população adscrita.

Os dados foram coletados em instrumentos como as FICHAS- A e posteriormente houve atualização de cadastros junto ao SIAB (Sistema de Atenção Básica), buscou-se a verificação minuciosa de toda a área de abrangência das equipes de Saúde sinalizando no mapa da área de abrangência todas as informações coletadas. Identificou- se as lideranças comunitárias presentes no território, com o objetivo de realizar entrevista, seguindo-se o roteiro proposto,  onde registramos as preocupações e sugestões para uma melhor organização da atenção em saúde no território.
 

Para a tabulação e consolidação dos dados obtidos utilizou-se programas como: Word e  Excel  para Windows, com o preenchimento de tabelas distribuidas pela equipe de tutores do programa e posteriormente analizou-se os resultados separadamente e de acordo com cada área de atuação das Equipes de Saúde e suas especificidades.

ok já arrumadinho no prazo, se faltar alguma coisa me aponte, que reoorganizamos novamente.

Oi Ednilda,

 

Gostei muito do trabalho da Equipe e fico feliz por compartilhar as experiências manauaras com os demais colegas da Estratégia Saúde da Família do Brasil inteiro. Nossa Equipe da UBS Dr. Platão Araújo está compartilhando 06 experiências na Mostra. Desejo sucesso e me sinto orgulhosa de fazer parte da Equipe do Disa Leste.

 

Francicléia dos Santos Azevedo

Oi Ednilda!!!

Chegamos ao final da curadoria e do processo de alterações nos relatos e gostariamos de parabenizar pela inscrição do seu relato e por aceitar o processo da curadoria.

Esperamos ter contribuido de forma positiva na construção e desenvolvimento da sua experiência.

Ficaremos na torcida durante o processo de seleção e esperamos nos encontrar em Brasília, em março do ano que vem na IV Mostra.

Então "BORA SE AMOSTRAR!!!"

Um grande abraço,

Nilson Ando & Karine Ely

Estaremos em Brasilia se Deus quizer!

 

Gestão e atenção são questões inseparáveis quando falamos de cuidado, acho que operar esses elementos nas práticas em saúde é pensar e na efetivação do princípio da integralidade.

Gente parabéns pela experiência! pelos esforços da equipe em fortalecer a atenção pensando na coordenação e gestão dos processos de trabalho!! adorei!!!

abçs,

scheila.