Visita Domiciliar com atuação multiprofissional

Visita Domiciliar com atuação multiprofissional

A inserção da residência multiprofissional permitiu as visitas de assistência domiciliar um caráter multiprofissional, proporcionando diferentes olhares á família assistida, levando a um cuidado ampliado e mais resolutivo, com toda a equipe de saúde trabalhando de forma integrada, atuando na prevenção, proteção e promoção da saúde.

Dados da Experiência

Local da experiência: 
Santa Maria (RS)
Qual foi a experiência desenvolvida? Sobre o que foi?: 

A experiência desenvolvida é a realização de visitas domiciliares multiprofissionais de assistência à famílias cadastradas em um Estratégia de Saúde da Família da região oeste do município de Santa Maria/RS. A partir da inserção do programa de Residência Multiprofissional em Sistema Público de Saúde, área de concentração Estratégia de Saúde da Família/Atenção Básica, foi possível o aperfeiçoamento da prática da visita domiciliar com uma atuação multiprofissional e interdisciplinar, proporcionando diferentes olhares da atenção.

Como funciona(ou) a experiência?: 

Essa experiência ocorria conforme demanda livre e trazida pelos agentes comunitários de saúde, pois a Unidade não tinha uma organização prévia e uma continuidade da assistência, também, muitas vezes os profissionais não conversavam e ocorriam ações com duplicidade. Inicialmente foi realizada uma agenda semanal fixa para alguns profissionais (enfermagem e técnicos de enfermagem) e posteriormente foi-se incluindo os demais profissionais (Odontóloga, Terapeuta Ocupacional e psicóloga) nesta. Cabe lembar que além dessas quatro categorias profissionais de residentes (Enfermagem, Odontologia, Psicologia e Terapia Ocupacional) as unidades contam com o apoio matricial, que são residentes locados em outras ESF na cidade, que vem prestar esse apoio. Para isso,além dos núcleos ja citados, podemos contar com os profissionais de educação física, assistência social, fisioterapia e nutrição.

Após esta fase citada notou-se a necessidade de um planejamento, que atualmente é coordenado pelas enfermeiras do quadro de funcionários desta Unidade, os agentes de saúde da mesma e residentes multiprofissionais. Semanalmente ocorrem encontros que proporcionam a discussão de casos a serem visitados, faz-se os encaminhamentos devidos e discute-se em conjunto quais são os profissionais responsáveis para cada caso. Esta proposta conta com o apoio também do profissional médico, que realiza as visitas domiciliares uma vez durante a semana com planejamento prévio, fazendo assim com que toda a equipe participe. A evolução dos casos e seus desfechos ocorrem de forma multiprofissional e quando há necessidade também intersetorial.

Desafios para o desenvolvimento: 

Os desafios para este tipo de atividade começa na demanda arrecadada pelos agentes de saúde, pois esta Unidade atende cerca de 15.000 usuários e algumas dessas pessoas estão em microáreas descobertas por agentes de saúde devido a problemas da gestão municipal. Esse contingente populacional também faz com que algumas pessoas não sejam acompanhadas de forma ideal e contínua, devido a falta de profissionais no quadro de funcionários, como é o caso da terapeuta ocupacional e da psicóloga, profissionais que são essenciais para trabalhar com a promoção e prevenção de saúde. A Residência realiza ações, enquanto a gestão não aumenta o quadro de funcionários do município, porém com prazo determinado de dois anos, impossibilitando a continuidade das ações.

Outro determinante é o horário de funcionamento da unidade, que funciona oito horas diárias, de segunda à sexta-feira, o que coincide com horário comercial de trabalho, dificultando o acesso de pessoas. Outro ponto que causa dificuldades as visitas é o clima do estado, uma vez que possuímos um inverno rigoroso e chuvoso, o que decai a produção de visitas pois não realiza-se visitas em dias chuvosos, tornando mais difícil de fazer a continuidade da assistência a essas famílias, pois são poucos dias produtivos dentro do mês.

 

Quais as novidades?: 

A partir da inserção da residência multiprofissional foi possível ter acesso à diversos núcleos profissionais que não se era possível, pois tinha-se somente a equipe mínima com saúde bucal. Com esta inovação, foi possível organizar e planejar a assistência, sendo visível a resolutividade dos casos que são acompanhados , o que muitas vezes não ocorria, devido a escassa diversidade profissional. O planejamento semanal  já relatado, foi muito importante para a efetivação da continuidade. Além disso, foi possível ampliar o acesso ás famílias através das visitas, pois de forma planejada e com mais profissionais foi possível atender mais usuários. Cabe lembrar que a assitência à essas pessoas com o auxílio dos residentes não se deteve somente à assistência domiciliar, pois proporcionou também aumento de profissionais trabalhando dentro da unidade de saúde trabalhando na assistência e através de grupos que promovem à saúde. A partir desse modelo inovador causou mudanças no processo de trabalho, causando mais satisfação nos profissionais, pois as visitas passaram a ser resolutivas em sua maioria.Para todo esse trabalho ser realizado foi fundamental a integração entre todos profissionais de saúde, residentes e agentes comunitários de saúde.

Autores da experiência

NomeCategoria
Bruna SkrebskyEnfermeiro
Natália Marion FantinelEnfermeiro
Cristiane WagnerTerapeuta Ocupacional
Mariane Pergher SoaresCirurgião Dentista
Daniele Missau AbelinPsicólogo
Taísa Gomes FerreiraTerapeuta Ocupacional

Atores da experiência

NomeCategoria
LAURA TAÍS LOUREIRO SIMASEnfermeiro
PATRICIA CURTI BUENOEnfermeiro
CRISTIANE FRASSON CARPINTécnico de Enfermagem
EZEDIR FLOR ELEUTERIOTécnico de Enfermagem
ANTONIA CARMILUCI ILHA DA SILVAAgente Comunitário de Saúde
ELIANE MACHADO DOS SANTOSAgente Comunitário de Saúde
ELOISA MORAES PEREIRAAgente Comunitário de Saúde
CELIA REGINA MASSOLI CAMARGOAgente Comunitário de Saúde
ALVARO MARCELO ROSA DOS SANTOSAgente Comunitário de Saúde
CARMEM TEREZINHA MORAES PEREIRAAgente Comunitário de Saúde
FABIANA MEDIANEIRA DA CUNHA BARCELLOSAgente Comunitário de Saúde
JAIR DA ROSA KOGLINAgente Comunitário de Saúde
TATIANE DA COSTA GOMESAgente Comunitário de Saúde
LUCIANE DE FATIMA GARCIA DICKELAgente Comunitário de Saúde
SARA DE FATIMA RIBEIRO JAQUESAgente Comunitário de Saúde
TERESA SILVA DE BASTOSAgente Comunitário de Saúde
ROSANA CEZAR ESCOBARAgente Comunitário de Saúde

Comentários

Olá Bruna, boa tarde!  

Parabéns pela iniciativa de inscrever o relato de experiência  "Visita Domiciliar com atuação multiprofissional" na IV Mostra Nacional de Experiências em Atenção Básica/Saúde da Família!   Meu nome é Ana Carolina, sou curadora dessa Mostra junto com minha colega Janaina Cardoso, e gostaria de saber se você tem interesse em participar do Processo de Curadoria, cujo papel do curador é contribuir com os autores para que as experiências sejam relatadas da maneira mais clara e detalhada possível.  

A participação no Processo de Curadoria não é obrigatória, e a idéia é que possamos conversar por meio desta Comunidade de Práticas a fim de possibilitar que o seu relato "mostre" todas as potencialidades de sua experiência.  

Desta forma, caso você tenha interesse em participar da Curadoria, é necessário que você me dê um retorno em até 5 dias corridos, já que a participação nesse processo é limitada e precisamos dar oportunidade para que outras pessoas participem.   Aguardo um retorno!  

Abraço!

Parabéns pela iniciativa!!!!!